Conheça as pragas e doenças que atacam a seringueira

Algumas pragas podem causar sérios prejuízos para a seringueira, diminuindo o crescimento das plantas e a produção de borracha

seringueira

Algumas pragas podem causar sérios prejuízos para a seringueira, diminuindo o crescimento das plantas e a produção de borracha. Para identificá-las e combatê-las, é necessário examinar o seringal com frequência. As seringueiras também são atacadas por formigas, vaquinhas, mosca branca, cochonilhas, cupins, paquinhas, coleóbrocas, ácaros e percevejos, que são pragas mais facilmente controláveis. Destacaremos, abaixo, algumas dessas pragas:

Percevejo de Renda

O percevejo de renda, também conhecido como mosca de renda, tem causado grandes problemas nos seringais do país. Essa praga, tanto na forma adulta quanto na forma juvenil, ataca o seringal, sugando a seiva e provocando o desfolhamento das plantas. Os ataques mais severos podem causar uma redução de 27,7%, no crescimento em altura, e de 45%, no diâmetro do colo das plantas em viveiro, bem como uma redução na produção de látex, que chega a atingir 30% do total.

Ácaro da seringueira

Essa praga causa sérios problemas aos agricultores e seus ataques ocorrem, principalmente, nas folhas maduras. Os sintomas, de modo geral, começam a aparecer 45 dias após o pico populacional do inseto. As folhas, inicialmente, perdem a coloração e o brilho, tornando-se amareladas, posteriormente, bronzeadas, até caírem.

Mandarová

O mandarová constitui-se uma praga muito importante contra a seringueira e o seu ataque ocorre, normalmente, no período de setembro a fevereiro, podendo, em poucos dias, desfolhar completamente as árvores.

Passando às doenças, entre as principais e de importância econômica para a seringueira, no Brasil, destacam-se o mal-das-folhas, a requeima, a queda anormal e a antracnose. Destacaremos algumas delas abaixo:

Mal-das-folhas

Considerado como um dos principais problemas da seringueira nas Américas do Sul e Central, essa doença apresenta-se em todas as regiões heveícolas do país, ocorrendo o ano inteiro, tanto nos viveiros e jardins clonais como no plantio industrial. Os sintomas dessa doença caracterizam-se pelo aparecimento de manchas circulares de forma irregular, levemente escurecidas e cobertas por uma esporulação de cor cinza na face inferior e/ou superior da folha.

Requeima

Essa doença ocorre em período de chuvas prolongadas, principalmente, nos seringais adultos, nas plantas em reenfolhamento. Os sintomas se caracterizam pelo murchamento, seguido de queima dos folíolos jovens, dos pecíolos, das hastes e das inflorescências. Quando a infecção ocorre no penúltimo segmento dos folíolos, aparecem lesões com exsudação de látex, que anelam o ramo, provocando a murcha terminal deste.

Queda anormal

A ocorrência dessa doença verifica-se apenas em seringais adultos e está relacionada aos períodos de chuvas prolongadas. Os sintomas se caracterizam pelo aparecimento de lesões escuras, com exsudação de látex nos pecíolos de folhas adultas, as quais caem, ainda verdes, com os pecíolos.

Antracnose

Essa doença ocorre, principalmente, nos períodos chuvosos, sendo observada, tanto nos viveiros e jardins clonais como nos seringais adultos. Os sintomas se apresentam em forma de pequenas lesões escuras com as bordas cloróticas que, em condições mais favoráveis, interligam-se, atingindo grandes porções dos folíolos, os quais caem em seguida.

Para maiores informações a respeito das pragas e doenças que atacam as seringueiras, bem como seus controles, consulte o curso Cultivo de Seringueira Para Produção de Borracha Natural, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas. O curso conta com orientações a respeito do mercado da borracha natural, aspectos botânicos, clima e solo, preparo da área e plantio, entre outros. Leia também nosso outro artigo Conheça os tratos culturais para o melhor cultivo de seringueira.

Beatriz Lazia 26-11-2012 Agricultura

Deixe um Comentário

Comentários

Emanuel Fillipe da Silva Pantoja

30-08-2019

Muito obrigado

Resposta do Portal Agropecuário

30-08-2019

Olá Emanuel Fillipe da Silva Pantoja,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Ficamos felizes em saber que gostou do nosso artigo.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Emanuel Fillipe da Silva Pantoja

22-08-2019

Ajudou muito

Resposta do Portal Agropecuário

27-08-2019

Olá Emanuel Fillipe da Silva,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Que bom que o artigo o ajudou.

Atenciosamente,
Victor Sampaio