Métodos de colheita de cocos maduros

No Brasil, são usados dois métodos de colheita de cocos maduros. São eles a colheita dos frutos que caem no chão ou a colheita feita diretamente no coqueiro.

No Brasil, são usados dois métodos de colheita de cocos maduros. São eles a colheita dos frutos que caem no chão ou a colheita feita diretamente no coqueiro

Métodos de colheita de cocos maduros
No Brasil, são usados dois métodos de colheita de cocos maduros. São eles a colheita dos frutos que caem no chão ou a colheita feita diretamente no coqueiro.

O ponto de colheita ideal para o coco a ser processado na indústria é quando o fruto estiver maduro, ou seja, após passar aproximadamente um ano sendo cultivado.

O coco nesse ponto apresenta a casca com a coloração castanha, além de manchas verdes e pardas irregulares.

Quanto ao peso do coco maduro, este é bem inferior ao do coco verde.

No que diz respeito aos métodos de colheita, estes dependerão da variedade de coco escolhida, do clima da região e do destino do fruto.

Um das vantagens do coqueiro é que sua produção pode ser escalonada, por sua floração ser contínua. Em outras palavras, o produtor rural pode escolher algumas variedades, com ciclos de desenvolvimento distintos, para produzirem em diferentes épocas e, assim, colher o ano todo.

É bom lembrar que o coco pode ser colhido em várias etapas de desenvolvimento. Entretanto, se os cocos forem destinados à indústria, estes devem estar completamente maduros, por volta de 10 a 12 meses após a abertura da espata.

O produtor assim o faz para que do fruto seja processado o coco ralado, por exemplo.

Conforme a variedade e o ciclo de crescimento biológico do coqueiro, um cacho maduro pode ser  colhido por volta de 25 a 30 dias.

No Brasil, são usados dois métodos de colheita de cocos maduros. São eles a colheita dos frutos que caem no chão ou a colheita feita diretamente no coqueiro.

Deve-se avaliar bem os prós e os contras de cada método para evitar maiores perdas.

Muitos optam pela colheita dos cocos maduros caídos no chão, já que esta é mais econômica e prática. Entretanto, essa prática gera algumas perdas bastante consideráveis.

Uma delas ocorre quando os cocos caídos são escondidos por folhas que caem do coqueiro, ou ainda pela vegetação do terreno. Dessa forma, estes serão perdidos, pois ficarão ocultos até apodrecerem, gerando prejuízo ao produtor.

Outra perda bastante característica do método de colheita no chão ocorre no momento que os cocos caem no chão. Muitas vezes, por caírem de grandes alturas, os cocos rompem suas cascas, tornando-se inutilizados para o processamento industrial.

Além destas desvantagens, ao colher os cocos no chão, não haverá a inspeção da copa dos coqueiros à procura de pragas e doenças. Dessa forma, toda a cultura de coco certamente correrá o risco de ser atacada  e, quando o produtor perceber, poderá ser tarde demais.

Já na colheita feita diretamente no coqueiro, há algumas possibilidades.

Na primeira, o responsável por colher os cachos de coco poderá cortá-los com uma foice. Estes cairão no chão podendo sofrer perdas bem consideráveis.

Na segunda possibilidade, o funcionário subirá no coqueiro, cortará os cachos e os descerá por meio de uma corta ou dentro de um cesto.

Além disso, ao mesmo tempo, ele poderá proceder à limpeza do coqueiro, além de fazer o controle de pragas e doenças, evitando, assim, prejuízos futuros à cultura.

Em coqueiros baixos, a pessoa responsável por colher os cachos de coco poderá usar uma escada ou ainda um suporte conhecido como vara, em vez de estipes com peias. No entanto, em coqueiros altos, atualmente, são utilizados equipamentos de segurança próprios para escaladas.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Cultivo e Processamento de Coco, entre eles o Curso Industrialização do Coco, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.


Andréa Rocha 04-12-2013 Cultivo de Coco

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.