Como acabar com o fungo da jabuticabeira

Como acabar com o fungo da jabuticabeira. A produtividade da jabuticabeira depende do manejo adotado pelo fruticultor, assim como dos tratos culturais e do controle de doenças - muitas delas fúngicas.

A produtividade da jabuticabeira depende do manejo adotado pelo fruticultor, assim como dos tratos culturais e do controle de doenças - muitas delas fúngicas

Como acabar com o fungo da jabuticabeira

Árvore de clima tropical e subtropical úmido, a jabuticabeira (Plinia cauliflora) pode chegar a 15 metros de altura e produzir até 1000 kg de frutos por ano. Estes apresentam forma arredondada e tom de um roxo bem escuro. Sua polpa, com coloração esbranquiçada, é doce, tenra e muito saborosa. O ponto de maturação dos frutos depende da variedade da planta.  Em geral, quando estão macias, mas firmes, as jabuticabas podem ser colhidas. A produtividade depende do manejo adotado pelo fruticultor, assim como dos tratos culturais e do controle de doenças - muitas delas fúngicas.

Sua produção inicia após cinco ou oito anos do plantio e continua por mais de 30 anos.  De cada florzinha nascida no tronco da jabuticabeira, nasce um fruto - em geral, três meses após a floração. Anualmente, a árvore produz até três floradas, mas tudo depende do manejo de irrigação e adubação, além das medidas de prevenção contra fungos. Caso contrário, a produtividade da planta é reduzida de forma bastante significativa.

Para se desenvolver viçosa e saudável, a jabuticabeira deve ser plantada em solos silico-argilosos, ricos em matéria orgânica, profundos, com boa drenagem e pH de 6,5 a 7,0. O plantio dever ser realizado no início das chuvas em altitude abaixo de 600 metros. A temperatura ideal deve variar entre 18 e 35°C. A planta não gosta de temperaturas baixas (12°C) nem de geadas fortes, pois isso retarda seu desenvolvimento.
 
Em períodos chuvosos, quando a umidade aumenta, o fruticultor deve redobrar os cuidados em relação ao cultivo de jabuticabas. Isso porque o ambiente torna-se favorável ao surgimento de fungos. Um dos principais é o Puccinia psidii, que ataca as folhas, as flores, os frutos e os ramos da jabuticabeira. A doença pode ser identificada quando se verificam manchas circulares necrosadas, além de uma espécie de pó com coloração amarela bem forte.

Para reduzir o ambiente propício ao desenvolvimento do fungo, deve-se fazer o arejamento da árvore e aumentar a insolação interna na copa. De que maneira? Por meio das podas de limpeza, momento em que são cortados os ramos secos, quebrados ou em excesso. Outra medida é adubar a planta sempre com esterco curtido e irrigar seguindo o manejo adequado. Alguns fruticultores pulverizam os frutos (jabuticabas) em desenvolvimento com enxofre em pó molhável, outros preferem usar calda bordalesa.

Preparo da calda bordalesa:

Em 5 litros de água limpa, mergulhe um saco de pano com 100 gramas de sulfato de cobre em seu interior. Assim que passarem 24 horas, retire o saco do balde e acrescente 100 gramas de cal virgem - já diluídas em mais 5 litros de água. Misture bem, passe por coador de pano e coloque em pulverizador. Faça as aplicações da calda conforme recomendado por engenheiro agrônomo.

Fontes: Tudo sobre Plantas e Globo Rural.

Conheça o Curso a Distância CPT Produção Comercial de Frutas em Pequenas Áreas, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online, elaborado por Dalmo Lopes de Siqueira, Mestre em Agronomia (Fitotecnia) - Universidade Federal de Lavras, e Doutor em Fitotecnia (Produção Vegetal) - Universidade Federal de Viçosa.

Andréa Oliveira 02-12-2016 Fruticultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.