Cultivo de pepino - controle de doenças fúngicas e bacterianas

Entre as doenças fúngicas mais importantes temos a Antracnose e a Queima. Já entre as doenças bacterianas temos a Mancha Angular e a Podridão dos Frutos.

Entre as doenças fúngicas mais importantes temos a Antracnose e a Queima. Já entre as doenças bacterianas temos a Mancha Angular e a Podridão dos Frutos

Cultivo de pepino - controle de doenças fúngicas e bacterianas
Entre as doenças fúngicas mais importantes temos a Antracnose e a Queima. Já entre as doenças bacterianas temos a Mancha Angular e a Podridão dos Frutos.

 O pepino (Cucumis sativus) é originário da Índia, já que se adapta bem a regiões de clima tropical e temperado. Embora seja uma trepadeira, o pepineiro pode ser cultivado no chão, como a abóbora, ou ser tutorado para que possa crescer em uma treliça, por exemplo.

Um pepipeiro bem nutrido e com os tratos culturais adequados pode alcançar até os 3 metros de comprimento.

No Brasil, prefere-se o cultivo de pepino em estufas, contanto se faça a inspeção constante da cultura para verificar a incidência de doenças que possam acometê-lo.

Caso se detecte alguma doença, o controle deve ser feito imediatamente, para que toda uma cultura não seja danificada. Isso deve ser feito por meio de defensivos receitados por um engenheiro agrônomo de confiança.

Entre as doenças fúngicas mais importantes temos a Antracnose e a Queima. Já entre as doenças bacterianas temos a Mancha Angular e a Podridão dos Frutos.

Doenças fúngicas:

Antracnose (Colletotrichum orbiculare):

A Antracnose é causada por um fungo e promove a desfolha precoce do pepineiro, interferindo em seu pleno desenvolvimento ou ainda causando a morte da planta. As folhas se necrosam, apresentando manchas circulares com o centro mais claro. Já nos pepinos, as manchas também podem ser elípticas, com as bordas encharcadas e envoltas por esporos de coloração rosada. O pior é que esse fungo é bastante resistente, podendo sobreviver nos restos culturais até a próxima estação. Por isso o controle imediato deve ser feito para evitar maiores prejuízos à cultura do pepino.

Controle:

Para evitar o ataque deste fungo, é primordial que o produtor rural adquira as sementes de um distribuidor idôneo, para que estas sejam sadias. Também é muito eficiente fazer a rotação da cultura entre 2 e 3 anos. Se o fungo já tiver atacado os pepineiros, deve-se pulverizá-los com Benomyl ou Mancozeb, receitados por um especialista.

Queima (Cladosporium cucumerinum)

A Queima é uma doença causada por um fungo que ataca toda a parte aérea do pepineiro e, principalmente, os seus frutos. As folhas ganham o aspecto pardacento, cobertas por exsudados e frutificações com cor verde-oliva. Já nos frutos, ocorre a exsudação de goma nos tecidos da planta, formando uma cavidade com bordos irregulares, também recoberta por frutificações de coloração verde-oliva. O fungo pode se espalhar por agentes como: insetos, utensílios ou vento.

Controle:

Para evitar o ataque deste fungo, é primordial que o produtor rural adquira as sementes de um distribuidor idôneo, que sejam bastante resistentes. Também é muito eficiente fazer a rotação da cultura. Se o fungo já tiver atacado os pepineiros, deve-se pulverizá-los com Captan ou Mancozeb, receitados por um especialista.

Doenças bacterianas:

Mancha Angular (Pseudomonas syringae pv. lachrymans):

A Mancha Angular é causada por uma bactéria que ataca folhas, ramos, pecíolos e frutos. As folhas ganham pequenas áreas de tecido encharcado, limitadas pelas nervuras. Já os frutos ganham manchas com coloração verde-escura, até ficarem com o aspecto pardacento. As bactérias podem ser disseminadas por meio das sementes, da água usada na irrigação ou ainda dos restos culturais.

Controle:

No caso da Mancha Bacteriana, a prevenção é o melhor meio de controle. Deve-se evitar a irrigação em excesso, nem excesso de nitrogênio na adubação. Também é muito eficiente fazer a rotação da cultura entre 2 a 3 anos. Se a bactéria já tiver atacado os pepineiros, deve-se pulverizá-los com cúpricos no início da doença.

Podridão dos Frutos:

A Podridão dos Frutos, no estágio inicial, causa o encharcamento do tecido vegetal. Em seguida, ocorre a Podridão Mole da planta. Por fim, o pepineiro inteiro desidrata, exalando um odor fétido, próprio da ação da bactéria.

Controle:

No caso da Podridão dos Frutos, a prevenção é o melhor controle. Principalmente, durante os tratos culturais, protegendo os frutos no momento da colheita, para que estes não se machuquem. Também é muito eficiente fazer a rotação da cultura entre 2 e 3 anos. Se a bactéria já tiver atacado os pepineiros, deve-se pulverizá-los com defensivos indicados por um engenheiro agrônomo.

Aprimore  seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Horticultura, entre eles o Curso Cultivo de Pepino em Estufa, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas.


Andréa Rocha 29-11-2013 Horticultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.