A criação de cutia tem três finalidades

A cutia é um roedor de pequeno porte, que chega a pesar até três quilos

Como qualquer espécie silvestre, a cutia pode ser criada com finalidade conservacionista, científica ou comercial

  criação de cutia

A cutia é um roedor de pequeno porte, que chega a pesar até três quilos, e que, nas suas várias espécies, ocorre em todo o território brasileiro. Apesar de ser parecida com a paca, seu corpo não apresenta manchas. A espécie mais comum possui cor ocre, com tons variando do alaranjado ao avermelhado; as outras espécies, normalmente, são mais escuras, às vezes, de coloração acinzentada a prata.

Visualmente, o macho não difere da fêmea, sendo, portanto, necessário fazer a sexagem por meio da palpação, com posterior marcação, a fim de diferenciá-los. Os roedores se diferem principalmente das outras ordens, por apresentarem dois pares de incisivos, um superior e outro inferior, que possuem crescimento contínuo, e pela ausência de caninos, sendo característico um longo espaço entre os incisivos e os molares.

Tais características dentárias, associadas ao seu contínuo crescimento, permite que seus dentes assumam a forma de lâminas cortantes, o que é de grande valia, principalmente quando se precisa abrir um fruto duro para poder pegar a sua semente. Por outro lado, sugere a necessidade de se ter cuidado redobrado durante a contenção e o manuseio da cutia, pois suas mordias podem causar graves feridas.

Na natureza, a cutia vive só e somente se encontra para a reprodução. Elas vivem normalmente em tocas subterrâneas, locais com vegetação densa e próximos da água. Na hora de se alimentar, a cutia senta-se sobre os posteriores para comer e tem o costume de segurar os alimentos com as mãos, de forma que as diferencia, também, da paca, esta parecida com um suíno.

Quanto às finalidades, que levam à criação de cutia, elas podem ser três:

Finalidade conservacionista: tipo de criação que é registrada cujo objetivo principal é a reprodução natural das espécies. Além disso, realiza o processo de reintrodução na natureza e também atende proprietários rurais ou ecologistas que querem criar em suas propriedades, sem nenhum interesse ou objetivo comercial.

Finalidade científica: quase sempre, os criatórios conservacionistas têm finalidade científica, onde se fazem pesquisas com esses animais, objetivando conhecer mais os seus hábitos e, com isso, tendo cada vez mais sucesso na recuperação da fauna e consequente aumento de espécies na natureza.

Finalidade econômica: esse tipo de criação é a comercial, que tem interesses, ou seja, visa ao lucro do criador. Nesse caso, pode-se comercializar os animais nascidos no cativeiro, o que não é possível no criatório conservacionista. Esse tipo de criação permite também a comercialização de matrizes para formação de novos criatórios, reprodutores com a mesma finalidade e animais destinados ao abate.

Quanto à criação de cutia em cativeiro, ela conta com vantagens, como baixo custo de implantação (instalações simples), baixo custo operacional (necessidade de pouca mão de obra), elevado rendimento da carcaça, boa sanidade (as cutias são animais rústicas e possuem alta resistência a doenças), mercado em expansão, entre outros.

Para maiores informações, consulte o curso Criação Comercial de Cutia, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas. O curso conta com a coordenação do Zootecnista Fábio Morais Hosken, que orienta, entre outras coisas, a respeito da descrição da espécie, os sistemas de criação, instalações necessárias, viabilidade econômica e manejo. Leia também nosso outro artigo Criação comercial de cutia.

Beatriz Lazia 26-10-2012 Animais Silvestres

Deixe um Comentário

Comentários

francisco de assis da silva

07-01-2019

Preciso de informações para legalizar um criatório

Resposta do Portal Agropecuário

07-01-2019

Olá Francisco,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site. Você deve procurar o IBAMA da sua região.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto