A importância do abate humanitário

A importância do abate humanitário. o abate humanitário só traz benefícios ao produtor, como redução de perdas, aumento da produtividade, melhora da qualidade da carne, além da oferta de produtos com maior valor agregado.

O abate humanitário engloba várias orientações, regras e procedimentos técnico-científicos para garantir o bem-estar e conforto animal

A importância do abate humanitário

Com o passar dos anos, muitas mudanças ocorreram em relação ao abate de animais, sejam eles bovinos, suínos, caprinos ou aves. Atualmente foi mais do que provado que o abate humanitário só traz benefícios ao produtor, como redução de perdas, aumento da produtividade, melhora da qualidade da carne, além da oferta de produtos com maior valor agregado. Sem falar que o produtor evita o estresse negativo do animal e reduz o seu sofrimento.

Por tais motivos, é muito importante adotar algumas medidas essenciais para abate humanitário, como evitar o sofrimento do animal antes do abate, manejar os suínos em grupo para evitar o estresse, utilizar técnicas humanitárias de manejo, instalar lâmpadas azuis para acalmar as aves, utilizar corretamente equipamentos de insensibilização e imobilização dos animais, assim como usar pisos antiderrapantes e rampas pouco inclinadas para evitar quedas e lesões nos animais.

Recentemente, o MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento instituiu a Instrução Normativa n°12. Nela, são estabelecidas normas de credenciamento para que profissionais sejam treinados adequadamente no manejo pré-abate e abate de animais. Agora, para receber o certificado de aptidão para abate humanitário com fins comerciais, é essencial o treinamento dos funcionários.

 "O objetivo é credenciar o maior número de entidades para ministração de cursos de abate humanitário, além de manter o monitoramento da qualidade dos treinamentos, com a adequada formação e distribuição de material didático. Dessa forma, será possível contar com um maior número de funcionários capacitados nos frigoríferos", ressalta Charli Ludtke, coordenadora-geral de Agregação de Valor da Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor e Cooperativismo.

É importante ressaltar que o abate humanitário engloba várias orientações, regras e procedimentos técnico-científicos para garantir o bem-estar e conforto animal. Tudo deve ser seguido criteriosamente - desde o embarque do animal na propriedade até o transporte ao frigorífico. Com isso, são evitados maus tratos e negligência, além de evitar cortes de carnes com defeitos, lesões e fraturas.

Determinado pela União Europeia, o credenciamento de entidades para abate humanitário é prática de tamanha importância para a comercialização de carnes. Afinal, atualmente a UE é um dos principais compradores de carne do Brasil. As normas de abate humanitário também valem para o mercado interno. Com isso, serão reduzidas as falhas causadas pelo manejo pré-abate e abate realizado de forma incorreta. Além disso, o consumidor terá na mesa um produto com alto padrão de qualidade.

Segundo Ludtke, desde 2008, passaram por treinamento mais de 10 mil profissionais de frigoríficos com inspeção oficial.

Fontes: Canal Rural e Proteção Animal Mundial.

Conheça o Curso a Distância CPT Como Montar e Operar Pequenos e Médios Abatedouros de Bovinos e Suínos, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online - elaborado por Newton de Alencar, um dos maiores especialistas do país na área de processamento de carnes.

Andréa Oliveira 29-05-2017 Pecuária de Corte

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.