3 doenças mais comuns em bezerros

3 doenças mais comuns em bezerros. Algumas doenças - como pneumonia, diarreia e onfaloflebite, são muito comuns em bezerros e devem ser evitadas com práticas de boa higiene, vacinação e assistência.

Algumas doenças, como a diarreia, são muito comuns em bezerros e devem ser evitadas com práticas de boa higiene

3 doenças mais comuns em bezerros

Na pecuária de corte e de leite, quem administra o rebanho tem de se preocupar com inúmeros fatores determinantes para o bom desempenho produtivo e reprodutivo dos bovinos. Dos cuidados alimentares às precauções quanto a doenças, tudo deve ser minuciosamente controlado. A desnutrição e os problemas relacionados à sanidade dos bezerros, por exemplo, causam prejuízos exorbitantes aos pecuaristas.

"Algumas doenças - como pneumonia, diarreia e onfaloflebite, são muito comuns em bezerros e devem ser evitadas com práticas de boa higiene, vacinação e assistência especializada do médico veterinário", afirmam Oriel Fajardo de Campos e Rosane Scatamburlo Lizieire Fajardo, professores do Curso a Distância CPT Criação de Bezerros de Raças Leiteiras para Corte em Livro+DVD e Online.

Pneumonia

Quando os bronquíolos inflamam, temos uma doença chamada pneumonia. Não apenas os humanos podem ser acometidos por esse mal como também os bovinos, principalmente os mais jovens (bezerros). Dentre os principais sintomas, estão problemas respiratórios (respiração ofegante e dificultada), lacrimejamento, tosse, inapetência (falta de apetite), febre alta, fadiga e prostração.

Como tratamento, são recomendados antibióticos (como penicilina), além de um anti-helmíntico próprio para verminose pulmonar. É importante que o bezerro com pneumonia seja isolado dos demais. Para evitar a doença nos bezerros, é indispensável uma dieta balanceada, rica em nutrientes, além de instalações bem limpas, ventiladas e secas. O conforto e bem-estar do jovem bovino garante a sua boa saúde e vigor.

Diarreia

Muito comum nas três semanas de vida do bezerro, a diarreia pode ser causada por bactérias ou vírus. Dietas compostas por lácteos mal formulados, alimentação em excesso, assim como falta de higiene das instalações, também podem levar a quadros de diarreia. Os sintomas característicos são fezes moles, com mal cheiro e traços de sangue. No início pode haver febre, mas posteriormente o bezerro pode apresentar hipotermia. Além disso, podem ocorrer inapetência, perda de peso e desidratação.

O tratamento com antibióticos orais, além de soluções hidratantes (ou medicação parenteral) são amplamente recomendados. Para evitar a diarreia no bovino recém-nascido, ao fim da gestação, a vaca deve ser vacinada. Ao nascer, o pecuarista deve proceder à colostragem do bezerro e manter as instalações limpas, livres de agentes contaminantes.

Onfaloflebite

Quando o cordão umbilical do bezerro inflama, ocorre a onfaloflebite. Ela é muito comum ao nascimento, principalmente por falta de higiene e assepsia do umbigo do bezerro recém-nascido. O sintoma mais comum é o aumento do volume no umbigo, acompanhado de exsudato e dor abdominal. Também pode surgir bicheira no local. Em quadros mais graves da doença, o animal pode ser acometido por hepatite (ou peritonite) e pneumonia.

Como tratamento, a região umbilical deve ser higienizada com soluções antissépticas e aplicações de antibióticos. Para evitar a onfaloflebite, é essencial a assistência ao parto, em um local limpo e seco, que garanta o conforto e bem-estar da mãe e da cria. A cura do umbigo do bezerro é prática imprescindível por parte do tratador.

Conheça os Cursos a Distância CPT, constituídos de Livro+DVD, e Cursos Online, da Área Gado de Leite.

Fonte: ruralsoft.com.br

 

Andréa Oliveira 16-04-2018 Pecuária de Leite

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.