Casal torna sítio produtor de café lucrativo

Para tornar a lavoura produtiva, um casal de cafeicultores fez cursos de capacitação, além de contratar um engenheiro agrônomo

Casal torna sítio produtor de café lucrativo

Casal torna sítio produtor de café lucrativo. A propriedade está localizada no Sul de Minas (Cássia), constituída de 16 hectares, a mais de mil metros de altitude, condições perfeitas para o cultivo de café. Segundo José Renato Xavier, dono da propriedade, há dez anos, a lavoura de café era pouco produtiva, com baixa rentabilidade. Diante disso, Xavier passou a administração do sítio para seu filho Thiago e sua nora Josilaine.

Entretanto, para mudar o quadro improdutivo do sítio para uma propriedade lucrativa, o casal realizou algumas ações importantes, uma delas foi aumentar a área de produção dos cafeeiros. Além disso, eles fizeram cursos de capacitação e implantaram no sítio tecnologia de ponta. Gradativamente, a lavoura de café foi crescendo – de 17 mil cafeeiros, surgiram 60 mil pés de café com variedades diversas.

Logo, o casal viu a necessidade de contratar um profissional especializado, para otimizar a produção. De acordo com Leonardo Oliveira, engenheiro agrônomo contratado, o foco principal é associar a alta qualidade da bebida com a alta produtividade, com o objetivo de aumentar a rentabilidade do produtor rural. Para isso, é essencial garantir a boa nutrição do cafeeiro, para que ele alcance o máximo do seu potencial produtivo.

O processo começa com a coleta das folhas de café e amostras de solo para análise. Após os resultados, o engenheiro agrônomo estabelece os critérios de adubação, conforme as necessidades da planta. “O aumento da produtividade da lavoura de café e da rentabilidade do produtor rural se devem ao uso de técnicas adequadas e aplicações de doses corretas de fertilizantes”, completa Júlio César Lima Neves, professor do Curso a Distância CPT Aplicação Econômica de Adubos em Livro+DVD e Online.

É importante ressaltar que conforme a variedade e a idade do cafeeiro, ela requer uma quantidade específica de nutrientes. Isso barateia os custos de produção e torna a lavoura de café muito mais produtiva. Outra prática implantada por Leonardo foi realizar a adubação anual antecipadamente. Sendo o sítio localizado em uma região com altitude elevada, o cafezal já começa a receber adubo, em agosto, antes do período das águas.

Dessa forma, assim que tem início a floração dos cafeeiros, a planta terá no solo os nutrientes disponíveis, que atendam às suas necessidades. O término das adubações também deve ser antecipado para dezembro. Como resultado, os cafeeiros se tornam vigorosos e carregados de frutos e folhas viçosos. “Na produção de café, a planta deve produzir e reter o máximo número de folhas”, explica o agrônomo.

Ademais, a plantação de café deve ser conduzida de forma sustentável, sem o uso irresponsável e inadequado de agrotóxicos. Além de benéfica ao meio ambiente e à saúde humana, a sustentabilidade da produção é vantajosa ao produtor rural, que reduz os seus custos significativamente. Entretanto, é indispensável realizar o controle e o monitoramento contínuo de pragas e doenças.

Conheça os Cursos a Distância CPT, constituídos de Livro+DVD, e Cursos Online, da Área Agricultura e da Área Cafeicultura.

Leia o artigo "Utilização de adubos".

Leia o artigo "Dicas de manejo de café com excelência".

Fonte: g1.globo.com

Andréa Oliveira 23-10-2018 Cafeicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.