Bom manejo evita anemia infecciosa equina

Bom manejo evita anemia infecciosa equina. A falta de higienização e desinfecção dos instrumentos dissemina o vírus no rebanho.

Para evitar anemia infecciosa equina, é indispensável usar agulhas e seringas descartáveis ao vacinar os cavalos

Bom manejo evita anemia infecciosa equina

“Quem se dedica diariamente à criação de cavalos tem obrigações indispensáveis. Os manejos alimentar e sanitário são essenciais para o sucesso do criador de cavalos e devem ser seguidos criteriosamente. Afinal, são determinantes para a boa performance dos equinos e rentabilidade dos negócios”, afirma Haroldo Vargas Leal Júnior, professor do Curso a Distância CPT Aprenda a Montar e Lidar com Cavalos em Livro+DVD e Online.

Na verdade, o manejo de equinos deve ser visto como um todo, pois engloba várias etapas importantes, que garantem bem-estar e conforto animal, além de vigor e boa saúde ao cavalo. Quando apresenta falhas operacionais, o manejo pode causar sérios problemas ao criador de cavalos e, em especial, aos animais - como a anemia infecciosa equina. Quando acometido por esse mal, a saúde debilitada do cavalo compromete seu desempenho.

Um dos agravantes, que levam os cavalos a contraírem essa doença, é o manejo inadequado de ferramentas de trabalho. A falta de higienização e desinfecção dos instrumentos dissemina o vírus no rebanho. Outro fator que promove a contaminação por anemia infecciosa é o compartilhamento de agulhas e seringas. Se um único animal estiver infectado poderá contaminar outros que compartilharem a mesma agulha.

Segundo Márcia Furlan, médica veterinária da Embrapa, o sangue infectado, que ficou na agulha, embora em mínima quantidade, contém milhões de partículas virais, que podem penetrar na corrente sanguínea dos animais sadios. Por tais motivos, é de suma importância utilizar seringas e agulhas descartáveis. Não são apenas estes os agentes contaminantes, as peças de montaria, como freios e esporas, também podem disseminar a doença.

Esporas afiadas (não recomendadas atualmente) causam ferimentos no cavalo. Por isso, devem ser desinfetadas após o uso. Basta a lavagem em mistura caseira preparada com 100 ml de detergente + 10 litros de água. No processo, cada peça deve ser escovada com a solução higienizadora e colocada ao sol para secagem. O ideal é não usar esporas afiadas, mas sim, grossas e arredondadas, pois não machucam o animal. É importante sempre garantir um tratamento humanizado ao animal.

Conheça os Cursos a Distância CPT, constituídos de Livro+DVD, e Cursos Online, da Área Criação de Cavalos.

Fonte: g1.globo.com

Andréa Oliveira 10-05-2018 Cavalos

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.