Conheça as causas de aborto em éguas

As causas de aborto em éguas podem ser de origem infecciosa e não infecciosa

Conheça as causas de aborto em éguas

Na maioria das vezes, as causas de aborto em éguas são relativas a problemas no manejo sanitário dos equinos. Geralmente os maiores riscos de abortamento ocorrem quando a égua entra no 55° dia de gestação. O processo se dá com a perda da prenhez após o término da organogênese. Tanto as causas infecciosas como as não infecciosas geram sérios prejuízos ao criador de cavalos.

Origem infecciosa


Os abortos em éguas com causas infecciosas têm como agentes patológicos fungos, vírus e bactérias e correspondem a cerca de 20% de todos os abortos. As infecções bacterianas responsáveis pelo abortamento têm como agentes patológicos: Brucella abortus, Escherichia coli, Streptococcus spp., Leptospira sp., Salmonella abortusequi, Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa, Proteus vulgaris, Micrococcus spp. e Klebsiella spp..

Uma das principais doenças bacterianas responsáveis por abortamentos em éguas é a Leptospirose. Já as doenças viróticas causadoras de aborto são: Arterite Viral Equina e a Rinopneumonite Viral Equina. Não podemos nos esquecer do perigoso Herpesvírus equino tipo 1 (EHV-1).

Tanto os abortamentos bacterianos como fúngicos são causados por infecções favorecidas pela dilatação da cérvix da égua ou pós-monta. Outra doença infecciosa responsável por abortos em éguas é a placentite, cujos patógenos são: Escherichia coli, Staphylococcus spp., Aspergillus spp., Pseudomonas sp., Streptococcus spp. e Klebsiella sp..

Origem não infecciosa


Os abortos em éguas com causas não infecciosas podem ser o resultado de inúmeros fatores, como gestação gemelar (uma das causas mais comuns), anomalias no cordão umbilical, conformação anormal do potro, má-conformação vulvar, distúrbios hormonais, alterações circulatórias graves, predisposição hereditária, desequilíbrios metabólicos, problemas nutricionais, enfermidades que produzem toxemias, problemas ambientais e traumatismos externos.

O abortamento em éguas também pode ser causado por alimentos tóxicos ou estragados, drogas anti-inflamatórias corticosteroides, medicamentos que contraem a musculatura lisa, antiprostaglandínicos ministrados no terço final da gestação, além de vermífugos ministrados em animais fracos no terço inicial e final da gestação.

Dicas de prevenção


O correto manejo sanitário dos equinos em reprodução é prática essencial para a manutenção da saúde das éguas. Devem ser realizados periodicamente exames clínicos e ginecológicos/andrológicos na égua e no garanhão. Da mesma forma, devem ser adotadas medidas de higiene nas coberturas e nos partos. As éguas que sofreram aborto dessem ser isoladas e as instalações, desinfetadas.

Para algumas doenças infecciosas, a vacinação é uma excelente estratégia, principalmente contra Leptospirose e a doença causada por Herpesvírus equino tipo 1 (EHV-1).

Conheça o Curso a Distância CPT Reprodução de Cavalos em Livro+DVD e Online.

Leia o artigo "Cuidados com a égua gestante e sinais de proximidade do parto".

Fonte: informativoequestre.com.br

Andréa Oliveira 25-10-2018 Cavalos

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.