Como iniciar uma criação de coelhos

Muitos têm vontade de criar coelhos, iniciar um novo negócio, entrando para o ramo da cunicultura. Mas ficam inseguros, pois não tem noção de como iniciar a criação. Principalmente porque muitos são os fatores para que a criação de coelhos prospere e gere lucros ao produtor. Entre eles, o número de

Em princípio, a criação de coelhos deve se iniciar com 10 matrizes, sendo um macho reprodutor para 10 fêmeas

 

Criação de coelhos 

Muitos têm vontade de criar coelhos, iniciar um novo negócio, entrando para o ramo da cunicultura. Mas ficam inseguros, pois não tem noção de como iniciar a criação. Principalmente porque muitos são os fatores para que a criação de coelhos prospere e gere lucros ao produtor. Entre eles, o número de matrizes para iniciar o plantel, as instalações adequadas, o manejo reprodutivo e manejo de alimentação, entre outros.

Muitos que prosperaram na cunicultura sugerem que, em princípio, a criação de coelhos seja pequena, em torno de 10 matrizes. Lembrando que para 10 fêmeas é necessário apenas um macho reprodutor. Isso porque os coelhos apresentam alto índice reprodutivo e o número de crias seria rapidamente excedido, dificultando o controle e manejo dos coelhos.

Outro fator de suma importância é não criá-los soltos, pois, em cativeiro, o controle de natalidade do plantel certamente é mais preciso. Portanto, serão necessárias em torno de 15 a 20 gaiolas para alojar os coelhos.

De acordo com os professores Hélcio Vaz de Mello e José Francisco da Silva, do Curso Coelhos Técnicas de Criação, as gaiolas mais indicadas são as de arame galvanizado, pois possibilitam uma melhor higienização e uma maior durabilidade.

Os coelhos recém-nascidos devem ficar com a mãe por 30 dias, até que a amamentação tenha término e os coelhinhos já estejam fortes e saudáveis. A gestação da coelha dura em torno de 30 dias, quando ela deve ser transferida para uma caixa de madeira coberta com serragem, para dar conforto ao animal.

Assim que os coelhinhos (láparos) são separados da mãe, inicia-se o seu processo de engorda até que atinjam 2,2 kg. Peso ideal para o abate exigido pelo mercado.

Para aproveitar ao máximo os ótimos resultados com a criação de coelhos, além da carne, o cunicultor pode aproveitar a pele, as vísceras e os dejetos do animal.

Carne: comercializada principalmente em restaurantes finos, já que a carne do coelho é considerada nobre.

Pele: comercializada para ser usada na alta costura, para a confecção de casacos e bolsas.

Vísceras: usadas na fabricação de uma farinha com alto valor nutritivo, inclusive recomendado por nutricionistas a crianças desnutridas.

Dejetos: usados como adubo, pois possui alto índice de fosfato e nitrato, excelentes para  o desenvolvimento das plantas.

Por Andréa Oliveira.

Fonte: Novo Negócio.

Andréa Oliveira 17-04-2015 Pequenas Criações

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.