Dicas imperdíveis para criar peixe Pirarara

Dicas imperdíveis para criar peixe Pirarara. O Pirarara possui bom valor comercial - até R$ 100/ kg (em pesqueiros). Quando atinge entre 20 e 30 cm, ele apresenta boa demanda no mercado de peixes ornamentais.

Quem pretende criar peixe Pirarara deve começar com matrizes de 12 cm de comprimento, pois já estão bem desenvolvidas

Dicas imperdíveis para criar peixe Pirarara

Criar peixe Pirarara (Phractocephalus hemioliopterus) pode se tornar uma atividade prazerosa e lucrativa. Isso porque as condições climáticas do Brasil favorecem o bom desenvolvimento dessa espécie de peixe água doce. Com cauda e borda das nadadeiras vermelhas, o Pirarara é utilizado no aquarismo jumbo (exposto em grandes aquários de parques e museus), além de ornamentar lagos de hotéis-fazenda e pesque-pagues. Sua carne apresenta sabor forte e gordura em excesso, o que a torna pouco apreciada no mercado.

Trata-se de um peixe robusto e vigoroso, capaz de alcançar 60 quilos e chegar a 1,5 metros de comprimento. O Pirarara possui bom valor comercial - até R$ 100/ kg (em pesqueiros). Quando atinge entre 20 e 30 cm, ele apresenta boa demanda no mercado de peixes ornamentais, o que torna a sua criação em cativeiro um negócio bastante lucrativo. Na natureza, o Pirarara vive nas águas profundas das Bacias Hidrográficas do Amazonas, Araguaia e Tocantins, com hábitos noturnos.

Tamanho das matrizes iniciais

Quem pretende criar Pirararas deve começar com matrizes de 12 cm de comprimento, pois já estão perfeitamente desenvolvidas. O valor comercial dessa espécie de peixe de água doce é determinado pelo tamanho, principalmente no mercado voltado ao aquarismo e à ornamentação de lagos.

Ambiente ideal no cativeiro  

Embora seja originário da região Norte, onde o clima é quente, o Pirarara se adapta bem a climas com temperaturas mais baixas, como as da região Sudeste. No Sul do país, onde as temperaturas são extremamente baixas, a criação dessa espécie não é recomendada. O ideal é que a água dos tanques permaneça entre 20 e 28 °C (preferencialmente 26 °C), com pH 5 a 7.

Tipos de tanque de criação

Inicialmente, os Pirararas devem ser criados em tanques escavados em terra até chegarem a 15 cm de comprimento. Nesse momento, eles devem ser levados a tanques de alvenaria (ou geomembrana) até atingirem o tamanho ideal para a comercialização (conforme os objetivos do piscicultor). Em áreas menores, eles podem ser transferidos para tanques elevados com sistema de recirculação de água.

Alimentação recomendada

O Pirarara é um peixe onívoro ("come de tudo"). Entretanto, nos primeiros dias de vida, a alimentação natural (zooplâncton) é a mais recomendada. Assim que o Pirarara atinge dez dias, o piscicultor pode fornecer a ele alimentos à base de carne e ração comercial (úmidos). Além disso, a dieta deve ser complementada com peixes vivos menores ou pedaços de peixe fresco junto a rações comerciais.

Fonte: Revista Globo Rural.

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livro+DVD e Online, da Área Piscicultura.

Confira o artigo "Conheça o novo Curso a Distância CPT Nutrição e Alimentação de Peixes" e aprimore ainda mais o seu conhecimento.

 

Andréa Oliveira 16-02-2018

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.