Algumas dicas para o cultivo de coco

Para o cultivo, independente da espécie escolhida, é necessário fornecer muita água ao coqueiro, além de temperaturas altas e intensa radiação solar

 

O coco, fruto que vem ganhando cada vez mais espaço no gosto popular, é produzido pelo coqueiro que contém componentes benéficos para o organismo humano. Casca fibrosa, endocarpo duro, semente esbranquiçada e suculenta são algumas das características deste fruto carnoso, que possui ainda a água dentro da semente, tão apreciada pelas pessoas. A quantidade dessa água dentro da semente irá depender da maturação de cada fruta (quanto mais o fruto envelhecer, menos água ele dará).

Existem diversas espécies de coco, sendo que a mais conhecida é a espécie do coco-da-baía. Tal espécie é apreciada por ser rica em proteínas, calorias, vitaminas, gorduras, fibras, potássio, sódio, cloro e fósforo. Ela ainda atua como hidratante para a pele, diminui o colesterol, combate verminoses, controla a pressão arterial, restaura a energia, diminui febre, entre outros. Contudo, todas essas propriedades só são encontradas quando o coco ainda está verde, depois de maduro não é recomendado a ingestão dele por pessoas que tenham pressão alta ou alto colesterol.

Para o cultivo, independente da espécie escolhida, é necessário fornecer muita água ao coqueiro, além de temperaturas altas e intensa radiação solar. A área escolhida para o plantio do coqueiro deve ter uma precipitação média anual superior a 1.600mm. Se a região escolhida para o plantio tiver um índice pluviométrico abaixo de 1.000 mm/ano, será preciso que o produtor instale um sistema de irrigação.

A planta escolhida para dar início a plantação deve estar em plena produção, deve ser vigorosa, ereta e apresentar precocidade. A copa da planta deve ter cerca de 30 a 35 folhas, um comprimento de 4 metros e suas folhas devem estar para cima e para baixo. Deve-se excluir as que estiverem em formato de espanador.

É importante também que o coqueiro apresente grande número de cachos e frutos, com pedúnculo curto e flores femininas. Os frutos devem ter formas arredondadas, a parte comestível deve conter um alto teor de óleo e a água deve ser saborosa quando o coco ainda estiver verde. A escolha dos frutos deve ser feita quando eles estiverem no ponto de cair naturalmente, com cerca de 50% a 70% de água, propiciando a germinação.

Depois que os cocos são colhidos, eles devem ser levados para um local arejado e que seja protegido do sol. No caso do coqueiro anão, por exemplo, os cocos devem ser deixados descansando por 10 dias. Caso sejam da espécie de coqueiro gigante, o tempo de descanso aumenta para 20 dias. Em todos os casos deve-se evitar o ataque de plantas daninhas com métodos de roçadas e regras periódicas, que devem aumentar de frequência em períodos de estiagem.

Ainda em relação às espécies de coqueiro anão e coqueiro gigante, a primeira começa a produzir por volta do 2° ano de vida, já a segunda por volta do 4° ou 5° ano de vida. Caso o interesse seja o consumo de água, a colheita deve ser realizada por volta dos 6 meses após a abertura da flor. Nessa fase o fruto já estará com tamanho e peso máximos e a casca estará fácil de ser removida. Caso o interesse seja culinário, eles deverão ser colhidos entre os 12 e 13 meses após a polinização.

Para mais informações a respeito do cultivo de coco, consulte o curso Produção de Coco Anão para Consumo de Água, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas. O curso conta com a orientação do professor doutor Luiz Ângelo Mirizola Filho. O professor aborda, entre outros temas,  as condições de solo e clima, a produção de mudas e a implantação da cultura. Leia nosso outro artigo Coqueiro anão para consumo de água-de-coco: aprenda a produzir mudas.

Beatriz Lazia 25-05-2012 Cultivo de Coco

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.