Custo com fertilizante é reduzido com nanotecnologia MicroActive

Custo com fertilizante é reduzido com nanotecnologia MicroActive. Sua função é recobrir homogeneamente os grânulos dos macronutrientes NPK, conhecidos respectivamente como nitrogênio, fósforo e potássio.

A nanotecnologia MicroActive é constituída de nutrientes (NPK) balanceados

 Custo com fertilizante é reduzido com nanotecnologia MicroActive

Foram 10 anos de estudo até que os pesquisadores da Embrapa Instrumentação (SP) desenvolvessem uma tecnologia pioneira no Brasil. Tudo começou no laboratório nacional de nanotecnologia voltada ao agronegócio. O produto MicroActive foi criado para ser usado nas diversas culturas, mas apresenta um grande diferencial: reduz as aplicações de fertilizantes garantindo maior economia ao produtor rural.

Além disso, a nanotecnologia MicroActive é constituída de nutrientes balanceados, que ajudam a aumentar a produtividade das lavouras. O produto inovador apresenta uma película formada por micronutrientes concentrados. Sua função é recobrir homogeneamente os grânulos dos macronutrientes NPK, conhecidos respectivamente como nitrogênio, fósforo e potássio, elementos essenciais ao bom desenvolvimento das plantas.

Segundo Caue Ribeiro, pesquisador da Embrapa, a película recobre a superfície do grão, com a função de levar outro fertilizante com ele. Para isso, foi necessário desenvolver uma espécie de “capa de alta aderência na superfície, que não se desprendesse quando fosse aplicada”, completa Ribeiro. Dessa forma, criou-se um produto com micronutrientes concentrados a ser aplicado diretamente em fertilizantes NPK, sem o uso de aditivos.

A formulação também exigia uma quantidade equivalente à proporção de duas partes de micronutriente para cada uma de macronutriente. O objetivo principal era fazer a planta receber todos os nutrientes de forma equilibrada. Entretanto, colocar um nutriente em cima do outro, sem perder a aderência e na proporção correta foi um grande desafio para a equipe da Embrapa.

Na prática, o produtor rural deve aplicar o fertilizante na lavoura em grande quantidade, com base no tamanho da lavoura. “A dosagem inicial deve ser a mesma até o final da aplicação do fertilizante”, ressalta Ribeiro. Mas felizmente, ao término do estudo, os pesquisadores da Embrapa chegaram à formulação ideal, que conta com o correto balanço dos nutrientes.

A formulação apresenta outras vantagens: reduz o número de aplicações de fertilizantes, diminui os custos da produção e cria condições ideais de nutrição para as plantas. Além disso, “a tecnologia aumenta a produtividade, pois fornece macro e micronutrientes, simultaneamente, fazendo com que as plantas produzam próximo ao seu potencial genético”, comenta Elaine Cristina Paris, coordenadora da pesquisa na Embrapa Instrumentação (SP).

Conheça o Curso a Distância CPT Aplicação Econômica de Adubos em Livro+DVD e Online.

Leia o artigo "Brasil usará tecnologia da Nasa para análise de solo".

Fonte: canalrural.uol.com.br

Andréa Oliveira 21-09-2018 Agricultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.