Conheça as principais pragas da banana

Conheça as principais pragas da banana: Moleque-da-bananeira, Broca-do-pseudocaule, Tripes-da-ferrugem-dos-frutos, Tripes-da-erupção-dos-frutos e Traça-da-bananeira.

Dentre as principais pragas da banana, estão Moleque-da-bananeira, Broca-do-pseudocaule, Tripes-da-ferrugem-dos-frutos, Tripes-da-erupção-dos-frutos e Traça-da-bananeira

Conheça as principais pragas da banana

Assim como as demais frutíferas, a bananeira pode ser atacada por pragas e doenças, o que prejudica a produtividade da planta e gera prejuízos ao fruticultor. Entretanto, com o acompanhamento contínuo do cultivo, o manejo adequado e o controle imediato quando constatado o ataque, o pomar produzirá bananas saudáveis e saborosas.

Segundo os especialistas da FRUPEX e professores do Curso CPT Produção de Banana, o cultivo de banana é uma opção promissora para os fruticultores, que diversificam nas melhores cultivares - mais resistentes a pragas e doenças, com alta capacidade produtiva e boa qualidade dos frutos.

Mas para o total sucesso da lavoura, a identificação imediata das principais pragas da banana pode evitar sérios problemas para o produtor rural. Conheça algumas delas:

Moleque-da-bananeira

Considerada o pesadelo dos fruticultores, o Moleque-da-bananeira é a principal praga que ataca as bananeiras, pois acomete todo tipo de bananal, de forma rápida e avassaladora. Além desse nome, o coleóptero é conhecido popularmente como Broca-do-rizoma. Na verdade, trata-se de um besouro (Cosmopolites sordidus) de coloração negra, com cerca de 11 mm de comprimento e 5 mm de largura. Como possui grande longevidade, pode permanecer no bananal até oito meses.

Broca-do-pseudocaule

Praga conhecida pelos bananicultores como Broca-do-pseudocaule, a lagarta Castnia sp. apresenta em torno de 9 cm de comprimento, possui cabeça com coloração marrom-avermelhada e corpo na cor branco-leitosa em sua fase inicial. Quando adulta, sofre metamorfose, transformando-se em uma borboleta com asas de envergadura de 10 cm. Nessa fase, seu hábito é diurno, voando em torno dos bananais, preferencialmente nas horas mais quentes do dia.

Tripes-da-ferrugem-dos-frutos

Essa praga se subdivide em duas espécies, Caliothrips bicinctus (Bagnall) e Tryphactothrips lineatus Hood, conhecidas popularmente como Tripes-da-ferrugem-dos-frutos. Tratam-se de insetos com até 1,2 mm de comprimento e coloração amarronzada, que se alojam nas inflorescências entre as brácteas do coração e entre os frutos. Com o ataque, as bananas adquirem coloração marrom-avermelhada, lembrando a ferrugem, daí o nome.

Tripes-da-erupção-dos-frutos

De nome científico Frankniliella ssp., essa praga apresenta coloração branca ou amarelo-clara quando jovem, mas na fase adulta adquire cor marrom-escura. Este pode ser encontrado nas flores jovens da bananeira que estão abertas, mas também se aloja nas brácteas e nos frutos jovens. O ciclo de desenvolvimento do Tripes-da-erupção-dos-frutos varia entre 13 e 29 dias. Quando pupa, preferencialmente se aloja no solo, abaixo do cacho de bananas.

Traça-da-bananeira

A Traça-da-bananeira - Opogona sacchari (Bojer), apresenta ciclo de 55 dias. Em sua fase adulta, trata-se de uma lagarta com cerca de 25 mm de comprimento, que penetra o fruto para se alimentar, o que causa o seu apodrecimento e amarelecimento - principalmente devido às galerias feitas pela larva. Uma das formas de detectar o ataque da traça é procurando o acúmulo de resíduos na extremidade apical dos frutos da bananeira.

Por Andréa Oliveira.

Fontes: Ebah e Cursos CPT.

Andréa Oliveira 29-03-2016 Fruticultura

Deixe um Comentário

Comentários

Gabriel Taveira

20-02-2021

Minha produção é caseira e apareceram nas folhas e caule pequenos insetos pretos parecem Acaros. Qual o melhor tratamento?

Resposta do Portal Agropecuário

26-02-2021

Olá,Gabriel Taveira

Como vai?

Agradecemos sua visita ao nosso site!

Neste caso, recomendamos que procure um especialista na área em sua região para que o mesmo possa analisar sua produção e assim orientá-lo de forma mais eficiente.

Atenciosamente,
Erika