Saiba mais sobre a broca-do-café

Saiba mais sobre a broca-do-café. A praga pode continuar o seu ataque no café armazenado em coco ou despolpado - principalmente no caso de as medidas de controle não terem sido tomadas na lavoura.

A broca-do-café é um tipo de besouro pequenino, que penetra os grãos de café, onde se multiplica

Saiba mais sobre a broca-do-café

Considerada uma das mais prejudiciais pragas do cafezal, a broca-do-café é um tipo de besouro pequenino, que penetra os grãos de café, onde se multiplica. A praga pode continuar o seu ataque no café armazenado em coco ou despolpado - principalmente no caso de as medidas de controle não terem sido tomadas na lavoura e a seca ter sido realizada em terreiro, com o café ainda úmido", afirmam Júlio César de Souza e Paulo Rebelles Reis, professores do Curso a Distância CPT Pragas do Cafeeiro - Reconhecimento e Controle, em Livro+DVD e Online, da Área Cafeicultura.

A maior incidência da broca-do-café ocorre nos invernos chuvosos. Entretanto, o índice populacional da praga na lavoura pode aumentar ainda mais se o cafeicultor deixar os frutos com broca, no solo, após a colheita. Com isso, aumentam-se os locais de multiplicação da broca, o que aumenta a infestação da praga. Como resultado, podem ocorrer desde a perda da qualidade dos grãos de café até a destruição total dos frutos.

O processo de disseminação da praga no cafezal começa no momento em que as larvas existentes no interior dos grãos de café viram pupas e, depois, insetos adultos. O ciclo de vida da praga dura de 40 a 45 dias, indo da fase de postura dos ovos até a fase de inseto adulto. Em condições propícias de umidade e temperatura, a broca-do-café pode atingir até 15% da lavoura de café.

Para impedir a infestação da praga no cafezal, é preciso fazer o constante monitoramento dos cafeeiros. É possível ver o ataque da broca-de-café ao averiguar os frutos de café - estes apresentam uma pequena perfuração na coroa. Infelizmente, o ataque da praga na lavoura ainda não apresenta controle efetivo. No café beneficiado, basta averiguar se as sementes de café estão perfuradas.

Como já dissemos, monitorar a lavoura é o melhor meio de controle da broca-do-café. Entretanto, deve ser realizado três meses após iniciar a florada. O exame deve ser feito nos frutos de café com tamanhos maiores. Assim que for identificada a praga, o mais recomendado é a aplicação de inseticida - prescrito por engenheiro agrônomo. A maior eficiência do controle químico se dá quando o ataque da broca está na fase inicial.

Mas é possível prevenir a infestação ao realizar a colheita do café corretamente, sem deixar os frutos de café no chão, pois alguns deles podem conter a praga em seu interior. O mais recomendado é deixar o mínimo possível de frutos nas plantas - colha o máximo que puder. Se após a colheita permanecerem grãos infectados no cafezal, poderá haver aumento populacional da broca-do-café, o que dificulta o combate à praga.

Por tais motivos, muitos cafeicultores utilizam a colheita mecânica do café. Por meio dela, é possível alcançar maior precisão, o que reduz a quantidade de grãos no cafeeiro e no chão. Com isso, impede-se a multiplicação da broca-do-café, que poderia infestar a safra seguinte. Outro método interessante para impedir a infestação é adotar o controle biológico com as vespinhas - inimigas naturais da praga.  

Fonte: Successful Farming.

Confira o artigo "Saiba quais são as principais pragas que atacam o cafeeiro" e aprimore ainda mais o seu conhecimento.

Andréa Oliveira 14-09-2017 Cafeicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.