Carpas prateadas - manejo de criação

Carpas prateadas - manejo de criação. São inúmeras as chances de obter boa rentabilidade financeira com a criação desse belo peixe ornamental.

São inúmeras as chances de obter boa rentabilidade financeira com a criação de carpas prateadas

Carpa prateada - manejo de criação 

As carpas prateadas são as preferidas de muitos piscicultores brasileiros. Principalmente a espécie Hypophthalmichthys molitrix - própria para consumo e ornamentação. Segundo o professor Manuel Vazquez Vidal Junior, do Curso a Distância CPT Produção de Peixes Ornamentais, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online, a atividade com peixes ornamentais é um dos setores mais lucrativos da piscicultura brasileira.

Independentemente de a criação ser voltada para comercialização de carne ou para a ornamentação, são inúmeras as chances que o piscicultor tem de obter boa rentabilidade financeira com a criação de carpas prateadas. Inclusive com a distribuição para pesque-pagues. Entretanto, alguns cuidados no manejo devem ser seguidos - para que os resultados sejam melhores e os lucros aumentem ainda mais.

Uma tática infalível para reduzir os custos com a criação é a criação de carpas prateadas no sistema conhecido como policultivo. Devido à alta adaptabilidade da espécie - em especial, na alimentação, um único peixe pode engordar de 10 a 15 gramas por dia. Após 12 meses, ele pode chegar a 2 quilos - ao longo de sua vida, pode alcançar até 50 quilos. E a expectativa de vida da carpa prateada é de 40 anos - contanto que seja bem manejada.

Como se adapta a vários sistemas de criação, muitos piscicultores criam a Hypophthalmichthys molitrix em açudes, barragens e tanques escavados - tudo depende do investimento pretendido pelo empreendedor. No caso do sistema extensivo com microalgas, não há necessidade de fornecer ração para a engorda. Por outro lado, se a opção for a criação semi-intensiva, há necessidade de fornecer ao peixe ração - contanto que seja em farelo ou pó.

Siga as dicas e obtenha sucesso na criação de carpas prateadas!

Para iniciar a criação, adquira os alevinos de fornecedores idôneos e reconhecidos no mercado. Recomenda-se a aquisição de três milheiros de juvenis da espécie - com cerca de 8 a 10 cm de comprimento.

Os viveiros ou tanques podem ser relativamente rasos (em média, dois metros), contanto que tenham água de boa qualidade - com pH entre 6 e 8, temperatura média de 24°C e transparência de 30 cm. A dimensão dos tanques dependerá da disponibilidade de água no criatório e da topografia do terreno.

O policultivo da carpa prateada pode ser feito com outras carpas, camarões de água doce, tambaqui e pacu. Entretanto, a população do viveiro deve ser de um peixe a cada 5 m².  É importante destacar que embora o investimento seja alto, no sistema semi-intensivo, a produtividade é maior.

A alimentação das carpas prateadas (sistema semi-intensivo) deve ser enriquecida na primavera e no outono. Recomenda-se ração com aproximadamente 24% a 28% de proteína bruta.

Para a reprodução das carpas prateadas, é preciso realizar um procedimento conhecido como hipofização - indução hormonal (hipófise da própria carpa). É importante que este seja realizado por profissional especializado - em laboratórios de reprodução induzida.

Fonte: Revista Globo Rural.


Andréa Oliveira 22-08-2016 Piscicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.