Saiba tudo sobre criação de galinha d'angola

Saiba tudo sobre criação de galinha d'angola. A galinha d’angola da variedade pedrez é a preferida dentre os amantes de aves ornamentais.

A galinha d’angola da variedade pedrez é a preferida dos amantes de aves ornamentais

Saiba tudo sobre criação de galinha d'angola

Criada em quintais, sítios, fazendas e grandes propriedades rurais, a galinha d’angola da variedade pedrez é a preferida dos amantes de aves ornamentais. Com penas na coloração cinza-escura e pintinhas brancas, essa exótica ave é originária da África. No Brasil, ela também é conhecida como angolinha, cocá, galinhola, coquém, galinha-da-guiné e galinha-da-índia. É resistente a inúmeras doenças e possui boa rusticidade - o que facilita a sua criação nas mais diversas regiões. Outra vantagem é a rápida engorda - uma ave adulta chega a 6 kg de peso e 40 cm de comprimento.

Além da ornamentação, a galinha-d’angola fornece carne de excelente qualidade (semelhante à do faisão) e ovos (60 distribuídos em 3 posturas). Mas também é utilizada no controle biológico de pragas - como formigas, cupins, carrapatos, lagartas, cigarrinhas, gafanhotos, assim como na guarda da propriedade (alerta as pessoas com seu cacarejo). Sua criação é de baixo custo - não requer nutrição elaborada nem grandes instalações, mas apresenta alto preço no mercado.

Local e sistema de criação

As galinhas d’angola preferem viver em grupo e juntas fazem muito barulho. Portanto, não é recomendado criá-las próximas a outras criações mais calmas e silenciosas. O criatório pode ser construído nas mais diversas regiões, pois a ave é bastante resistente e possui boa adaptabilidade. O sistema intensivo de criação é ideal para que o avicultor tenha maior controle na coleta de ovos. Quando criadas soltas, as aves depositam os ovos em locais que dificultam o acesso.

Construção dos viveiros

Os viveiros podem ser construídos de alvenaria, madeira e telas. Devem ser direcionados ao norte - com a frente e as laterais teladas, mas o fundo e a cobertura fechados.  É fundamental uma área cercada - com gramado e sem cobertura, para que as aves possam ciscar e tomar sol. Da mesma forma, devem ser instalados poleiros (a 3 metros de altura) para acomodar as aves à noite. O piso deve ser coberto com serragem - o que evita a umidade e facilita a limpeza do local. Reserve 1,0 m²/ave para que todas tenham facilidade de locomoção e sejam criadas de acordo com os parâmetros de bem-estar e conforto animal.

Alimentação recomendada

A galinha d’angola adora insetos, grãos e hortaliças. Entretanto, na fase inicial de vida, deve ser fornecida às avezinhas ração especial para que atinjam rápido crescimento. Quando elas chegarem a seis meses, equilibre a dieta com ração para aves, grãos e vegetais. As refeições devem ser fracionadas em três parcelas diariamente. É importante eliminar as sobras dos comedouros para que não ocorra a fermentação do alimento - o que pode gerar doenças nas aves. Forneça água de qualidade e à vontade.

Reprodução das aves

A reprodução das aves começa entre seis e oito meses de idade. Após a cópula, a fêmea pode realizar até 3 posturas (agosto a dezembro) e produzir cerca de 60 ovos. O ideal é coletar os ovos e levá-los à incubadora a 38°C, pois as galinhas d’angola não são boas chocadeiras. Após 28 dias, nascem as pequenas angolinhas, que devem ser separadas das aves adultas por aproximadamente um mês.  

Fonte: Revista Globo Rural.

Confira os Cursos a Distância da Área Avicultura.


Andréa Oliveira 29-11-2016 Avicultura

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.