Quando fazer a recuperação e a reforma das pastagens?

Quando fazer a recuperação e a reforma das pastagens? Na reforma da pastagem, a área é destruída para que seja realizada uma cobertura efetiva da forrageira. Já na recuperação, a área é aproveitada de uma forma mais racional.

Quando a área apresentar sinais de degradação, é necessário fazer a recuperação e a reforma das pastagens

Quando fazer a recuperação e a reforma das pastagens?

Segundo Claudio Haddad, renomado professor da ESALQ/USP, a recuperação  e a reforma das pastagens devem ser realizadas quando algo está errado com a pastagem, como falta de produtividade. Nesse caso, a área deve estar em degradação, "um dos maiores problemas da pecuária brasileira, por ser esta desenvolvida basicamente em pasto, o que afeta diretamente a sustentabilidade do sistema produtivo", completam Adilson de Paula Almeida Aguiar e Bianca Helena Passareti Junqueira Franco Almeida, professores do Curso a Distância CPT Recuperação de Pastagens, em Livro+DVD e Online, da Área Pastagens e Alimentação Animal.

Quando se tem um estande forrageiro - ainda que de baixo vigor, mas com número de plantas razoável por unidade de área, o ideal é a recuperação. Isso porque após uma série de práticas agronômicas, é possível realizar uma cobertura vigorosa da pastagem. Por outro lado, quando o estande forrageiro é insuficiente, com poucas plantas por área, o mais recomendado é a reforma. Nesse caso, a área não permite que as plantas realizem o seu pleno fechamento ainda que sejam feitas medidas agronômicas.

Na reforma da pastagem, a área é destruída para que seja realizada uma cobertura efetiva da forrageira. Já na recuperação, a área é aproveitada de uma forma mais racional. A recuperação da pastagem é mais vantajosa por uma série de fatores, como preço - em média, 60% a menos do preço gasto na reforma; tempo gasto para o procedimento - 60 dias (a reforma leva até 120 dias); retorno do capital investido mais rápido (pastagem se recupera em menos tempo).

Além disso, é preciso que o produtor rural avalie muito bem a fertilidade do solo - 80 % das pastagens do Brasil apresentam algum grau de degradação. Esta surge por falhas tanto no manejo do solo como no posicionamento de bebedouros, cercas, sombra, relevo. Quando se planta em solos inférteis, onde não foram realizados os procedimentos necessários para o plantio racional da forrageira, o solo degrada, o que leva o produtor a ter de realizar a recuperação ou reforma.

Para averiguar se o solo está em degradação, basta observar se as plantas forrageiras estão debilitadas. Também podem surgir plantas invasoras na área. A situação pode se agravar ainda mais se o pecuarista não tomar medidas imediatas. Caso contrário, o solo pode passar para alto grau de degradação, quando ocorrem erosão, assoreamento, perda contínua de nutrientes, erosão laminar, sulco, voçoroca.

A mantença de pastagens com boa produtividade é essencial para a boa performance do rebanho. Além de produzir bem a forrageira, é preciso saber quando e quanto colher para não prejudicar a biologia das plantas na área.

Confira o artigo "Renovar ou recuperar as pastagens: uma decisão difícil" e aprimore ainda mais o seu conhecimento.


Andréa Oliveira 28-09-2017 Pastagens e Alimentação

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.